Portal da Refrigeração
Pesquisa Personalizada
Feeds do Portal da Refrigeração Portal da Refrigeração também  está no Twitter Veja os vídeos do Portal da Refrigeração sobre ar-condicionado e refrigeração no YouTube

Umidade


O ar puro é uma mistura de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e cerca de 1% de argônio, hélio, xenônio e outros gases inertes. Já o ar atmosférico é uma mistura de ar puro, vapor de água, poeira, bactérias, dióxido de carbono, fumaça e outras impurezas.

A quantidade de dióxido de carbono (CO2) que será encontrada no ar, depende da localidade e usualmente varia de 0,03 a 0,3%. A quantidade de vapor de água dependerá da temperatura e para o ar atmosférico, oscilará de menos de 1% a 4% do peso total.

Podemos notar o vapor de água contido no ar quando se coloca água fria dentro de um copo. Surgem gotas de água sobre a superfície externa do copo. Essas gotas são vapores de água que estavam contidos no ar e que se condensaram.

Ar perfeitamente seco seria aquele que não contém vapor de água e nesse caso ele é composto principalmente de nitrogênio e oxigênio. Fica claro que não existe esse tipo de ar na natureza, uma vez que sempre existe evaporação de água na superfície da terra.

A quantidade de vapor de água que um dado volume de ar conterá depende não somente da temperatura mas também da pressão do ar. Diz-se que o ar está saturado com vapor de água quando ele contém a máxima quantidade possível do mesmo a uma dada temperatura e pressão. Nesta condição o vapor de água estará em seu ponto de condensação, de modo que a extração de calor do ar, sem qualquer mudança na pressão, produzirá condensação.

Por exemplo, se a atmosfera está a 40o. C e está saturada e, repentinamente a temperatura muda para 20o. C, isto causaria chuva ou neblina, de vez que o peso da água que pode ser retida em forma de vapor de água é menor a 20o. C do que a 40o. C.

Umidade

Umidade é a quantidade de vapor de água misturada com ar seco, na atmosfera.

Umidade relativa do ar (UR)

É a quantidade de água contida no ar, em relação a quantidade de água que o ar pode conter, a uma determinada temperatura.

A capacidade de retenção de água do ar frio é inferior ao do ar quente. O ar com 10o. C suporta uma quantidade de água menor do que o ar com uma temperatura de 30o. C, para o mesmo volume de ar.

A UR e obtida por meio da divisão da quantidade real de água pela quantidade máxima de água que o ar poderia conter.

Ex.: um determinado volume de ar com 10o. C suporta 3 kg de água. Se ao medir-se a massa de água obter-se 1,5 kg, significa que existe 50% de UR:

1,5 kg/ 3,0 kg = 0,5 = 50%

Representa a quantidade de água contida no ar, comparada ao ar seco.

O peso do vapor de água usualmente expresso em "grains" (grain=0,0648 gramas) por pé cbico ou por libra de ar e é chamado umidade absoluta

Efeitos nocivos da umidade na refrigeração

A umidade pode combinar com a maioria dos refrigerantes usados nos sistemas de refrigeração, causando a formação de compostos altamente corrosivos, normalmente ácidos, que irã reagir com o óleo lubrificante e/ ou com outros elementos do sistema, incluindo metais.

Esta reação ocasionará a corrosão de válvulas, mancais, vedações, camisas dos cilindros do compressor, etc. Também pode causar a decomposição do óleo lubrificante, com a formação de resíduos metálicos que entupirão as válvulas e passagens do óleo, reduzindo a vida útil do equipamento.

Em compressores herméticos a umidade é a principal causa de danos no isolamento elétrico, causando curto circuitos das ligações do compressor.

Embora seja praticamente impossível manter um sistema de refrigeração sem umidade, deve ser feito o máximo possível para que o teor dela seja mantido abaixo do nível que pode produzir danos. Este nível varia consideravelmente dependendo:

  • gás refrigerante;
  • do tipo de óleo lubrificante;
  • da temperatura de operação;
  • da temperatura de descarga do compressor.

A umidade em um sistema de refrigeração pode ser encontrada sobre a forma de água ou compondo uma solução com o refrigerante. Quando na forma de água, em geral vai congelar no capilar (ou outro dispositivo de expansão), impedindo a passagem do refrigerante. Com isso o sistema irá funcionar de forma intermitente.

O congelamento é um sinal evidente que a quantidade de água excede o máximo aceitável. No entanto, a não ocorrência de congelamento não significa que o teor de água esteja abaixo do máximo aceitável, não causando corrosão.

Em sistemas de condicionamento de ar não ocorrem congelamentos pelo fato da temperatura de funcionamento ser superior ao ponto de congelamento da água. Novamente o não congelamento não significa que não exista corrosão. Na verdade, os sistemas que trabalham com "altas" temperaturas de evaporação muitas vezes estão mais sujeitos a corrosão devido a presença de umidade - isso ocorre porque quantidades relativamente elevadas podem passar desapercebidas por períodos relativamente longos.

Veja também:

comments powered by Disqus
Consulte aqui seu_nome@email.refrigeracao.net
Pesquisa Personalizada

Portal da Refrigeração e ar-condicionado - Política de Privacidade - Um site da HHC Internet